NOVOS ESTÍMULOS

Para que sejamos flexíveis e tenhamos escolhas na vida, o primeiro passo é termos opções. Não há escolha quando há apenas uma opção.

Fisicamente, novos movimentos corporais estimulam outros conjuntos de músculos, os quais, ao aprenderem os movimentos, desenvolvem-se na medida de sua necessidade. Por exemplo, veja halterofilistas que desenvolvem músculos específicos para realizar suas tarefas.

Mentalmente, novos estímulos também constroem novas habilidades e capacidades. Em matéria de memória, alguns estudos mostram que estímulos novos podem desencadear a liberação de neurotransmissores que reforçam e ajudam na fixação da memória, ou seja, as pessoas lembram melhor de coisas que são novas para os seus sentidos.

Podemos dizer que expandir-se, desenvolver-se, evoluir, vêm do fato de percebermos novos estímulos, coisas diferentes da rotina, e decidirmos “aprender” com estes novos estímulos.

Por exemplo, o fato de irmos a um restaurante diferente pode ser uma grande oportunidade de aprendizado. Pode até ser que você julgue que a comida tenha sido melhor ou pior, que o atendimento tenha sido bom ou ruim, mas como diz o pressuposto da PNL, “não existe fracasso, somente feedback”, você certamente aprendeu coisas diferentes, provou sabores diferentes, viu e ouviu coisas diferentes.

Procure observar e vivenciar novos estímulos, deixando o julgamento de lado e “aprendendo” tudo o que puder.

Como exercício, vou sugerir que você experimente pelo menos uma coisa nova por dia nos próximos 365 dias. Vou começar com uma pequena lista para auxiliá-lo, lista que deverá se complementada por você mesmo. Marque seu novo comportamento e a impressão sobre ele em seu Caderno de Notas a cada um. Você vai se impressionar com a quantidade de coisas que podemos aprender.

  • Ao tomar banho, segure o sabonete com a outra mão;MLI002-1
  • Entre em um comércio que você nunca tenha entrado;
  • Pergunte o nome de uma pessoa a qual você já tinha visto e não sabia seu nome;
  • Escove os dentes com a outra mão;
  • Faça um caminho diferente para chegar ao seu destino;
  • Assista/ouça uma emissora diferente, leia um jornal diferente, leia uma revista diferente;
  • Troque de roupa no quarto totalmente no escuro (ou mesmo vendado);
  • Decore um poema diferente;
  • Vire o telefone, o teclado ou a calculadora ao contrário e digite;
  • Peça um sabor totalmente diferente de pizza, sorvete ou refrigerante do qual está acostumado.

Comece com coisas pequenas, pois também se aprende a aprender. À medida que novas descobertas são feitas, novas opções são instaladas, nosso cérebro passa a querer mais e mais, pois essa é uma das razões dele existir: aprender.

Bons aprendizados.

 Trecho do Livro PNL E UM POUCO MAIS DE EXERCÍCIOS,  do autor  Márcio Martins Moreira, Trainer e Coach

Deixe uma resposta