Evitar Discussões

Algumas pessoas arrumam confusão com tanta facilidade que mereciam o diploma de encrenqueiros profissionais. Discutem besteiras como se estivessem defendendo a própria vida. Qualquer assunto serve – futebol, política, religião, por pura vaidade, sabendo que no final cada um continuará com sua opinião. E citei esses temas por serem os “clássicos”, mas poderia mencionar centenas de outros que cercam o nosso dia-a-dia, como qualidade de programas de televisão, moda, estilo de vida, crianças, sexo de pato ou ejaculação de minhoca. E olha que estou falando de gente arrumadinha, de gramática redonda, berço lustrado, mas que num piscar de olhos, depois de ter chegado de mãozinha dada esquece o Marcelino de Carvalho e o casal passa a se digladiar por nada, criam mal-estar no grupo de amigos e contribuem com esta atitude para cavar ainda mais fundo o fosso do desentendimento.

Esses debates verbais podem causar ressentimentos e criar hostilidades e antipatias que não raro perturbam o relacionamento.

Analise bem a circunstância antes de iniciar uma discussão. Verifique se é mesmo muito importante tentar convencer as outras pessoas do seu ponto de vista e de maneira consciente tome a decisão que julgar mais acertada. Vai descobrir que quase sempre o lucro será maior se ficar na sua.

Se, no meio de uma discussão, que iniciara como uma conversa natural para troca de opiniões, perceber que, tanto de um lado como de outro, a voz passou a se alterar e cada um se fechou nas suas próprias idéias e que em pouco tempo alguém poderá começar a rodar a baiana – não hesite – deixe a vaidade de lado, concorde de maneira genérica com a opinião contrária e tire o time de campo.

Texto de Reinaldo Polito – Revista Vencer nº 26

Deixe uma resposta