Errar é Humano

“Um dos maiores fatores impeditivos do sucesso é o perfeccionismo.

Pessoas perfeccionistas não conseguem admitir a realidade óbvia e objetiva de que errar é humano e mesmo necessário. Todo o mundo comete erros.

Os perfeccionistas são sofredores e fazem os outros sofrerem, pois além de não se permitirem errar, dificilmente admitem que as outras pessoas errem. Vivem controlando os outros e a si próprios. São pessoas “amarradas”, com medo de decidir, com medo de fazer, com medo de arriscar, com medo de assumir maiores responsabilidades. Por isso ficam paradas na hierarquia. Não crescem. Não se desenvolvem. Têm muito medo de errar…

Não estou advogando a favor dos que são “relapsos” e não se preocupam com o erro. Há uma grande diferença entre o “perfeccionista” e uma pessoa que deseja acertar, faz tudo para isso e acredita na sua própria capacidade de fazer certo.

O perfeccionista é um compulsivo. Não admite o erro. E por causa dessa compulsão em não errar jamais, sente-se paralisado e somatiza esse comportamento, ficando literalmente doente.

Perfeccionistas não admitem a crítica. Receber uma crítica ou um comentário que não seja um elogio, é para eles a morte. Daí ser muito difícil trabalhar com perfeccionistas. Ser chefe ou colega de trabalho de um perfeccionista é um exercício de paciência enorme. Tudo pode melindrar sua compulsão por não admitir o erro.

Se você, leitor, por acaso é perfeccionista ou tem tendências ao perfeccionismo, procure enfrentar, de vez, esse problema. Lembre-se de que não é possível acertar 100% das vezes.Lembre-se de que a crítica de alguém ao que fazemos pode ser uma excelente oportunidade para que cresçamos e nos desenvolvamos.

Lembre-se de que, no mundo profissional de hoje, é preciso que tenhamos a coragem de fazer, de agir, de tentar e de empreender. E se não estivermos preparados para errar, correremos o risco de nunca sermos notados – nem pelos nossos constantes acertos…”

 

Texto extraído do Livro “Socorro! Tenho Medo de Vencer  –  autor:  Luiz  A. Marins Filho

Deixe uma resposta