Todos os posts de Luzia Contim

O Tempo e as Jabuticabas

Contei meus anos e descobri que terei menos tempo para viver daqui para frente do que já vivi até agora.

Tenho mais passado do que futuro…

Sinto-me como aquele menino que ganhou uma bacia de jabuticabas…

As primeiras, ele chupou displicente… mas percebendo que faltam poucas, rói o caroço…

Já não tenho tempo para lidar com mediocridades…

Não quero estar em reuniões onde desfilam egos inflados.

Inquieto-me com invejosos tentando destruir quem eles admiram, cobiçando seus lugares, talentos e sorte.

Já não tenho tempo para conversas intermináveis…

Já não tenho tempo para administrar melindres de pessoas que, apesar da idade cronológica, são imaturas…

Detesto fazer acareação de desafetos que brigaram pelo majestoso cargo de secretário geral do coral…

As pessoas não debatem conteúdos… apenas os rótulos…

Meu tempo tornou-se escasso para debater rótulos… quero a essência… minha alma tem pressa…

Sem muitas jabuticabas na bacia, quero viver ao lado de gente humana, muito humana;
que sabe rir de seus tropeços…
não se encanta com triunfos…
não se considera eleita antes da hora…
não foge de sua mortalidade..

Caminhar perto de coisas e pessoas de verdade…

O essencial faz a vida valer a pena…

e para mim basta o essencial…

Texto de Rubem Alves, psicanalista, educador, teólogo e escritor brasileiro, é autor de livros religiosos, educacionais, existenciais e infantis.

Contadores de Mentiras

NÃO PERCA TEMPO COM CONTADORES DE MENTIRAS

Existe um contador de mentiras que nada tem de folclórico ou pitoresco. Sua especialidade não é contar “causos” nem divertir os ouvintes com suas histórias rocambolescas. Na verdade, seu objetivo é o oposto disso. O que ele quer é nos deixar com medo. Não aquele susto misturado com prazer das histórias de assombração, mas medo mesmo. Muitas vezes ele consegue. E sabem por quê? Porque o contador de mentiras sabe apelar para nossos temores mais profundos: o receio de não conseguir, de não ser capaz e de que nada vai dar certo para nós.
Lembra-se de quando você estava todo entusiasmado com uma nova idéia e alguém lhe disse: “Esqueça. Isso nunca vai funcionar”? Ou quando você compartilhou seu sonho mais precioso com uma pessoa e ela lhe falou: “Você está delirando. Como é que alguém como você vai conseguir isso?”.
Pois bem, esses são dois exemplos típicos de contadores de mentiras. E a grande mentira que eles estão contando é a de que você não é capaz de realizar os seus sonhos, de colocar suas idéias em prática, de atingir seus objetivos.
Nem sempre é fácil identificar o contador de mentiras. É isso que o torna tão pernicioso. Sua estratégia preferida consiste em lançar mão de preconceitos e crenças negativas e travesti-los com ares de verdade absoluta. Ele vai tentar convencê-lo de que seus planos não vão dar certo porque você é muito jovem ou muito velho, porque é pobre, porque não terminou a faculdade, porque não tem amigos influentes, porque não faz parte da “panela”, por causa de sua raça, de seu sexo ou de suas origens humildes.
Se você facilitar, ele vai acabar convencendo-o de que está dizendo a verdade. Mas não está, e não é difícil provar por quê. Não faltam histórias de empreendedores de sucesso que desmentem, vez após vez, essa grande balela. Bill Gates começou a Microsoft antes dos 20 anos. Harland Sanders criou a Kentuck Fried Chiken aos 65 anos. John Johnson era neto de escravos e tornou-se o maior empresário afro-americano. E o que dizer de Samuel Klein (Casas Bahia), Amador Aguiar (Bradesco), Comandante Rolim (TAM) e tantos outros que começaram do zero?
Por aí já dá para ver que não vale a pena dar trela para o nosso mentiroso. Se acreditar nele, você estará transformando obstáculos e desafios em limitações intransponíveis. Pior ainda, você corre o risco de incorporar de tal forma essas balelas que nem irá precisar do contador de mentiras para lhe colocar medo e secar o seu entusiasmo. Você próprio se encarregará disso, cada vez que disser a si mesmo: “Eu não vou conseguir”.
Portanto, ao identificar ou se deparar com contadores de mentiras, não dê ouvidos a eles, nem perca tempo discutindo com eles, se têm ou não razão. Acredite você nos seus sonhos e no seu potencial de realização, trilhe os caminhos da vida com alegria e confiança, e atraia para si toda a prosperidade e felicidade que você merece.

Texto adaptado por Luzia Contim Moreira, Trainer e Coach (fonte: Gazeta Mercantil, por Ricardo Bellino)

Síndrome do Domingo

“SÍNDROME DE DOMINGO”

Já que pensar é escolher, todas as experiências que vivemos são decorrências naturais dessas escolhas, e, portanto, de nossa responsabilidade! Assumir essa responsabilidade é despertar para a imensurável condição de modificar essas experiências, construindo em bases sólidas a própria felicidade.

Um estudo do Instituto de Pesquisas Sociais, Políticas e Econômicas divulgou que, no Brasil, 26% das pessoas estão felizes no trabalho, demonstrando que a esmagadora maioria (76%) está insatisfeita com o que faz! Ao dormirmos por volta de 8 horas diárias e trabalharmos 10, 12 horas em média, permanecendo insatisfeitos com o trabalho exercido, estaremos vivendo a maior parte de nosso tempo infelizes, causando-nos enfermidades e tédio, mesmo com a conta no banco polpuda.

Atualmente, temos uma grande contribuição para que o trabalho continue sendo uma desdita, dentro do próprio lar: quando os pais chegam em casa, referindo-se ao trabalho diário, alegam descontentamento, reclamam dos chefes, do salário etc., dando uma referência negativa para os filhos; alegando estarem cansados pelo trabalho, muitos pais se recusam a brincar com os filhos, deixando-lhes a impressão de que o trabalho afasta as pessoas que se amam.

Se não bastasse tudo isso, na maioria das vezes, escolhemos a profissão em que, a nosso ver, “menos se trabalha e mais se ganha”, esquecendo-nos da coisa fundamental para essa escolha, que é a nossa vocação!
Quando não, cansados de ter chefe, queremos montar o nosso próprio negócio para nos vermos livres, e descobrimos, surpresos, que temos agora em cada cliente um novo chefe – se não conseguíamos suportar um, como faremos agora com 50, 100?

Essa insatisfação tem nos causado muitas enfermidades, o alcoolismo, a arritmia cardíaca, a hipertensão, o estresse, etc. A proposta para o fim dessa insatisfação: buscar o trabalho que você ama desempenhar! Logicamente sem ilusões, pois “em toda quitanda encontramos abacaxis, abobrinhas e pepinos”. É imprescindível buscar o seu sonho, pois todos os problemas serão encarados como desafios e tudo o que for vencido traduzirá vitória pessoal!

Mas o que é trabalhar com amor?
“É construir uma casa com afeição, como se vosso bem-amado fosse habitar essa casa. É semear as sementes com ternura e recolher a colheita com alegria, como se vosso bem-amado fosse comer-lhe os frutos”. Impossível? Olhe-se no espelho quando estiver fazendo alguma coisa com amor e veja o brilho em seus olhos!

Guarde algumas dicas importantes para superar a “Síndrome de Domingo”:
. Não veja o trabalho como escravidão. Se você não tem o trabalho ou o emprego dos seus sonhos, planeje meios de conseguir algo melhor.
. Não adie o compromisso chato de sexta para segunda.
. Marque atividades de lazer para os dias da semana.
. Não beba ou coma demais no fim de semana.
. Faça algum exercício físico.

Texto adaptado por Luzia Contim Moreira, Trainer, Coach (Fonte: “Você: A Alma do Negócio” de Roberto Shinyashiki).

Lentidão no Trabalho

“Lentidão ou desconcentração no trabalho? Problema pode estar na alimentação”

Lentidão, indisposição, sonolência ou pouca concentração no trabalho para muita gente é reflexo de desmotivação. Porém, segundo a nutricionista e diretora do Sindicato dos Nutricionistas do Estado de São Paulo, Madalena Vallenoti, o problema pode estar na má alimentação.
De acordo com ela, indivíduos que não têm o hábito de tomar o café da manhã, por exemplo, são regularmente lentos, indispostos e desconcentrados. Já aqueles que costumam exagerar no almoço, optando sempre por alimentos gordurosos, costumam ser sonolentos depois deste horário, apresentando forte queda no rendimento.

E o cafezinho?
Diante de tais situações, muitos profissionais acabam recorrendo ao bom e velho cafezinho, contudo, alerta a nutricionista, o excesso de café ou alimentos do tipo cola pode fazer com que o trabalhador tenha mais dificuldade em se concentrar, ou mesmo em manter o humor.
“O nosso organismo necessita de energia e a ilusão de que um cafezinho preto, puro, irá acordar, pode ser realidade, porém por pouco tempo. Além disso, se a pessoa tomar mais café do que consegue processar, pode ter mais dificuldade em se concentrar, ou mesmo manter o humor”.

Trabalho noturno
Pessoas que trabalham no período noturno devem ter atenção redobrada com a alimentação. Isso porque, durante o dia, este profissional não consegue repor as energias necessárias, tendo maior propensão à fadiga crônica, à queda no desempenho, ao erro e a acidentes de trabalho.
Assim, tais pessoas devem optar por uma alimentação de mais fácil digestão, rica em verduras, carnes brancas, sem frituras, com preferência para assados, cozidos e grelhados, além do arroz e feijão sem o acréscimo de carnes gordas ao seu preparo.
No que diz respeito às sobremesas, a melhor opção são as frutas, pois os doces ou o excesso de açúcar podem causar sonolência, desatenção e ainda colaborar para o aumento dos níveis de glicemia.

Como se alimentar, então?
Independentemente do horário de trabalho, para se sentir mais disposto e render mais no ambiente de trabalho, é necessária a adoção de uma alimentação saudável, evitando o excesso de industrializados; equilibrada, com carboidratos, proteínas e hortaliças; e colorida, para ter maior oferta de nutrientes ao organismos.
Comer de forma variada e com porções moderadas, não pulando refeições (de 5 a 6 por dia) também são atitudes importantes. Na tabela abaixo, um resumo dos alimentos amigos do trabalho e dos inimigos.

Alimentos:
Amigos do trabalho
Frutas (as ricas em vitamina C, especialmente) e verduras
Leite e derivados, que são ricos em triptofano
Nozes e frutas oleaginosas, com moderação pelo alto conteúdo calórico; e gergelim
Tofu (queijo de soja).

Inimigos do trabalho
Excesso de cafeína
Bebidas alcoólicas
Alimentos e preparações gordurosas
Doces em excesso

Texto adaptado por Luzia Contim Moreira, Trainer, Coach (fonte: Infomoney).

Eutanásia

Mais uma vez, tocamos naquele assunto um tanto quanto desagradável, porém muito importante para todos os tutores: a eutanásia. Já falamos, em artigos anteriores, sobre os fatores que influenciam a decisão do tutor, e como tornar este processo um pouco menos difícil.

Agradecimentos ao site  http://www.meucaovelhinho.com.br

 

Hospitais Veterinários Gratuitos

O serviço veterinário gratuito não faz atendimento por telefone. Você deve comparecer em uma das unidades, de segunda a sexta-feira, das 6h às 10h da manhã para retirada de senha,  levando seu animal, documento de identidade e comprovante de residência da cidade de São Paulo em seu nome.

Os hospitais gratuitos, só realizam exames e cirurgias, de pacientes que foram atendidos no serviço. Não são realizadas cirurgias e exames encaminhados de clínicas privadas.

PÚBLICO

A quem se destina o serviço veterinário da Anclivepa-SP

O atendimento é EXCLUSIVO aos munícipes da Cidade de São Paulo e, prioritariamente, àqueles assistidos por programas sociais tais como: Bolsa Família, Renda Mínima, Renda Cidadã ou outro programa equivalente.

O hospital, prioriza o atendimento de animais da população de baixa renda do município. Quando chega à unidade com os bichinhos, seus donos ou responsáveis são recebidos por uma psicóloga que transmite informações sobre o atendimento. Em seguida, o animal passa por uma triagem onde é avaliado e aguarda para ser atendido.

 

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS

Lista de documentos necessários para usufruir dos nossos serviços

RG original
CPF original
Comprovante de residência no município de São Paulo em nome do responsável pelo paciente, que estará presente no ato da consulta

NÃO SERÃO ATENDIDOS OS ANIMAIS DAS PESSOAS QUE NÃO APRESENTAREM OS DOCUMENTOS EXIGIDOS

 

HORÁRIO

Horário de funcionamento das nossas clínicas

Segunda à Sexta: Retirada de senhas: 06h00 às 10h00 – Com a presença do animal

 

 

Devido ao crescente aumento na demanda, os atendimentos serão exclusivamente para os casos de Urgência e Emergência conforme critério medico.

“O atendimento de urgência ocorre quando o animal tem uma situação que não pode ser adiada e deve ser resolvida rapidamente”.

“O atendimento de emergência é uma situação na qual o animal se encontra em risco de morte iminente. Um procedimento de emergência tem um caráter mais imediato do que uma urgência”.

 

ENDEREÇOS

 

 

Unidade Zona Norte

Av. General Ataliba Leonel, 3194 Parada Inglesa São Paulo/SP – Telefone: (11) 2478-5305

 

Unidade Zona Leste

Av. Salim Farah Maluf, esquina com a Rua Ulisses Cruz, lado par, Tatuapé São Paulo/SP – Telefone: 2291-5159

 

Unidade Mogi das Cruzes

Centro de Bem Estar Animal fica na Estrada de Santa Catarina, nº 2.570, em Cezar de Souza, ao lado do Centro de Controle – Telefone: 11 4699-1957

 

Unidade Zona Oeste

Rua Manuel Jacinto, 249, bairro de Vila Sônia, Zona Oeste – Telefone: 11 3530-6008

 

 

IMPORTANTE

 

O Hospital Veterinário NÃO possui serviço de TAXI DOG e também não se responsabiliza pelo transporte de animais.

 

O acesso ao Hospital Veterinário é limitado a 01 (um) acompanhante para animais de pequeno porte e a 02 (dois) acompanhantes para animais de grande porte.

 

Solicitamos o não comparecimento de CRIANÇAS, IDOSOS e MULHERES GRAVIDAS como acompanhantes, devido a grande presença de animais no local.

 

Aos Sábados os atendimentos são exclusivamente para as emergências e retornos agendados pela equipe medica a serem realizados somente na Unidade Zona Leste. Não haverá atendimentos aos Domingos e Feriados em ambas as Unidades.

 

http://anclivepa-sp.com.br/2015/anclivepa-social/hospital/

http://anclivepa-sp.com.br/2015/hospital-veterinario-publico-unidade-oeste-2/